Idioma

Banco Santander Totta

Está em:

O que é SEPA?


Área onde as transferências internacionais são consideradas domésticas

 

 

 

 

 

 

 

 

De acordo com o Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho n.º 260/2012, os sistemas de pagamentos domésticos, transferências nacionais e Débitos Directos, foram desactivados em 31 Julho de 2014. A partir desta data, todos os pagamentos efectuados através de Transferências a Crédito e Débitos Directos deverão obedecer aos requisitos técnicos SEPA.

Se é utilizador de um destes instrumentos de pagamentos, saiba o que mudou:

 

Transferências:

 

  • Dados dos beneficiários: o NIB foi substituído pelo IBAN e pelo BIC (endereço SWIFT dos Bancos). Estes 2 elementos passaram a ser o identificador único das contas dos clientes para Transferências.
     
  • Alteração do formato de ficheiro utilizado pelos nossos clientes Empresas para processamento das instruções de débito: norma ISO20022 XML.

 

Débitos Directos:

 

  • Dados dos devedores: o NIB foi substituído pelo IBAN e pelo BIC (endereço SWIFT dos Bancos). Estes 2 elementos passaram a ser o identificador único das contas dos clientes para Débitos Directos.
     
  • Autorizações de débito em conta: deixou de ser possível a criação da autorização pelo devedor (na ATM, Homebanking, etc), ficando esta activação da responsabilidade da entidade credora. O devedor apenas pode efectuar a manutenção da autorização (definição de montantes máximos, data de validade, inactivação e definição de periodicidade).
     
  • Introdução de novos conceitos de cobrança: inicial (Inicial/FRST), recorrente (Recurrent/RCUR), final (Final/FNLA) e pontual (One-Off/OOFF).
     
  • Introdução de 2 serviços distintos: CORE (serviço base para cobranças a todos os particulares e empresas. Os actuais utilizadores do sistema nacional migraram obrigatoriamente para este serviço) e B2B (serviço opcional para cobranças apenas a empresas. Neste serviço o devedor não tem direito ao reembolso de uma cobrança autorizada).
     
  • Novos prazos para envio dos ficheiros de cobrança (entre D-14 e D-5 para o serviço CORE sendo D a data de cobrança ao devedor).
     
  • Alteração do formato de ficheiro utilizado pelos nossos clientes Empresas para processamento das instruções de débito: norma ISO20022 XML.